Os 9 novos Beatos

Pelo milagre, atribuído à intercessão da Venerável Serva de Deus Maria Emilia Riquelme y Zayas, Fundadora da Congregação das Irmãs Missionárias do Santíssimo Sacramento e da Beata Maria Virgem Imaculada, nascida em Granada (Espanha) em 5 de agosto de 1847 e ali falecida em 10 de dezembro de 1940;

Pelo martírio dos Servos de Deus Valerio Traiano Frenţiu, Vasile Aftenie, Giovanni Suciu, Tito Livio Chinezu, Giovanni Bălan, Alessandro Rusu e Giulio Hossu, bispos; assassinados por ódio à Fé em vários lugares da Romênia entre 1950 e 1970;

Pelo martírio do Servo de Deus Alfredo Cremonesi, sacerdote professo do Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras; nascido em Ripalta Guerina (Itália) em 16 de maio de 1902 e assassinado por ódio à Fé no vilarejo de Donoku (Myanmar) em 7 de fevereiro de 1953;

Os 5 novos Veneráveis Servos de Deus

Pelas virtudes heroicas do Servo de Deus Francesco Maria Di Francia, sacerdote diocesano, Fundador da Congregação das Irmãs Capuchinhas do Sagrado Coração; nascido em Messina (Itália) em 19 de fevereiro de 1853 e falecido em Roccalumera (Itália) em 22 de dezembro de 1913;

Pelas virtudes heroicas da Serva de Deus Maria Hueber, Fundadora da Congregação das Irmãs Terciárias de São Francisco; nascida em Bressanone (hoje Itália) em 22 de maio de 1653 e ali falecida a 31 de julho de 1705;

Pelas virtudes heroicas da Serva de Deus Maria Teresa Camera, Fundadora da Congregação das Filhas de Nossa Senhora da Piedade; nascida em Ovada (Itália) em 8 de outubro de 1818 e ali falecida a 24 de março de 1894;

Pelas virtudes heroicas da Serva de Deus Maria Teresa Gabrieli, Co-fundadora da Congregação das Irmãs das Pobrezinhas – Instituto Palazzolo; nasceu em Bérgamo (Itália) no dia 13 de setembro de 1837 e ali morreu no dia 6 de fevereiro de 1908;

Pelas virtudes heroicas da Serva de Deus Giovanna Francesca do Espírito Santo (nome de nascimento, Luisa Ferrari), Fundadora do Instituto das Irmãs Franciscanas Missionárias do Verbo Encarnado; nascida em Reggio Emilia (Itália) em 14 de setembro de 1888 e falecida em Fiesole (Itália) em 21 de dezembro de 1984.

Padre Alfredo Cremonesi mártir em Myanmar

Entre os novos Beatos está o padre Alfredo Cremonesi, missionário do PIME na Birmânia (Myanmar), assassinado em 7 de fevereiro de 1953 no seu vilarejo de Donokù. Foi imediatamente invocado como “mártir”, porque deu a sua vida pelo seu rebanho. Tinha sido convidado a retirar-se de um lugar muito perigoso: ficou com o seu povo pagando com a sua vida. Três os motivos para a sua próxima beatificação: o padre Cremonesi era, antes de mais nada, um missionário santo. O martírio foi um dom de Deus a um homem que já era todo seu: oração, mortificação, doação total ao próximo mais pobre e abandonado. Os santos nunca envelhecem. O padre Alfredo era também um missionário moderno. Ele tinha um conceito avançado de missão (para aqueles tempos): diz-nos que devemos sempre olhar em frente, estar abertos às coisas novas que o Espírito suscita na Igreja, mesmo que perturbem a nossa preguiça. Enfim, ele era um autêntico missionário, projetado para tribos não-cristãs para anunciar Cristo. Grande viajante, percorria longas distâncias quase sempre a pé, entre guerrilheiros e ladrões, e se adaptava à vida das pessoas locais, com grande espírito de sacrifício.

Via Vatican News