1. AS CORRIDAS PASCAIS2

  • Objetivo: Saber correr pelas coisas boas.
  • Símbolo: Uma pessoa ou grupo correndo.
  • Texto: Jo 20,1-10.

COMENTÁRIO: Alguém me sugeriu falar das “correrias pascais”. E há várias. Normalmente corremos por algum motivo bom ou ruim. As alegrias parecem provocar mais pressa. Quando os gregos venceram os persas, em Maratona, dizem que um soldado saiu correndo desde Maratona até Atenas, para anunciar a vitória. Sua corrida foi tão apressada, que ao chegar a Atenas, distante mais de 40 quilômetros, apenas teve fôlego para gritar: “Vencemos.” Criou-se então a corrida de Maratona. A notícia era realmente muito importante. Se os gregos tivessem perdido, Atenas se tornaria escrava, os bens saqueados, famílias separadas e outros grandes males.

O texto de Jo 20,1-10 relata duas corridas: a primeira, (Jo 20,2), a corrida de Madalena, relata a tristeza: “Retiraram o Senhor do sepulcro e não sabemos onde o colocaram.” Pedro e o discípulo amado fazem a segunda corrida em direção ao sepulcro (Jo 20,3). Corriam juntos, conforme as pernas de cada um. Cristo lhes era importante, por isso, correram. Corre-se quando há algum motivo importante. E Jesus era o máximo dos motivos.

Há uma outra corrida pascal muito importante, quando os discípulos de Emaús perceberam que o Ressuscitado estava vivo e eles poderiam testemunhá-lo (24,33). Voltaram apressadamente a Jerusalém apesar da escuridão da noite. Sentiram necessidade de comunicar tão grande descoberta. Citarei apenas mais uma corrida. Logo após pescarem 153 peixes grandes, no mar da Galiléia, o discípulo amado diz: “É o Senhor.” Pedro vestiu-se rapidamente e atirou-se ao mar para alcançar o mais depressa possível o Senhor.

Como rezar o texto? Depois de reler o texto, examine o motivo de cada corrida. Arme uma cena, onde os ânimos se renovam e as pessoas renovam suas expectativas. Descortinam-se “novos céus e novas terras.” As corridas perseguem a vida, o sentido da vida. Eles buscam o que pode garantir esperança.

Em seguida, você pode refletir como se dão as suas corridas. Você corre em que direção? O que você realmente busca na sua vida? O que lhe dá verdadeiro sentido para a caminhada? Onde está o seu Ressuscitado, o seu Senhor? Seria mesmo o Cristo? Muitos se perdem na busca de dinheiro, honras e prazeres. Andam de cá para lá, sem saber porquê estão vivendo e sem saber para onde correr. Examine bem as motivações que o levam a viver e a viver a vida religiosa. Se conseguirmos ajudar algum jovem a descobrir o que ele realmente quer com a sua vida, lhe teremos oferecido uma grande ajuda. Nossos candidatos à vida religiosa devem ser muito questionados sobre suas motivações mais profundas. O que eles buscam realmente?

Faça um tempo de análise de suas motivações com Jesus Ressuscitado e certifique-se que Cristo é realmente o centro de suas motivações e buscas fundamentais. Converse com Cristo e peça-lhe que “mostre Seu rosto amoroso” e o cative de tal forma, que saia correndo como o soldado que saiu de Maratona até Atenas para anunciar a vitória. Há uma grande notícia a ser dada.

Sobra então mais um trabalho. As corridas pascais serviam para anunciar algo essencial e imperdível. Não podiam perder tempo. Há muitos que estão dormindo como Lázaro (Jo 11, 11). Era preciso despertá-lo, para que vivesse. E os discípulos, depois de certa relutância, disseram: “Vamos também nós e morramos com Ele.” Era algo muito importante, tão importante que valia a pena arriscar a vida.

Com isso, há trabalho de sobra para acordar o mundo de hoje. Eu e você vamos partir para o serviço, para anunciar a alegria da vitória.

Pe. Eugênio João Mezzomo, CP

PARA REFLETIR
1. Quais os motivos que fazem você correr nesta vida?
2. Como você resumiria a notícia que deve ser dada ao mundo de hoje?
3. Como sua vida testemunha a boa notícia da Ressurreição pascal de Cristo, da sua pessoal e do mundo?