Após ser empurrado de cima do palco onde celebrava a Santa Missa na tarde de domingo, 14 de julho, Padre Marcelo Rossi gravou um vídeo no qual assegurou que está bem e ressaltou: “Maria passa na frente e pisa na cabeça da serpente”.

Em um vídeo ao vivo em seu canal do Youtube na manhã desta segunda-feira, 15 de julho, Pe. Marcelo Rossi agradeceu a Deus e a Nossa Senhora por estar bem após ser empurrado por uma mulher que invadiu o palco durante a Missa de encerramento do Acampamento PHN, na Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP).

“Realmente, não há uma explicação, foi só a Mãe mesmo. Graças a Deus, estou aqui. Deus é demais. Obrigado, Senhor. Para te servir, mais do que nunca, guerrear, porque a fúria do inimigo vocês viram, mas Deus é maior”, afirmou o sacerdote na transmissão do momento de oração, com o Santíssimo Sacramento.

Pe. Marcelo garantiu que foi “um milagre”. “Não bati a cabeça. Todos sabem que tenho um problema na coluna. Não tocou a coluna. Machucou muito a perna, mas tudo consertado”.

“Estou ótimo, graças a Deus. E só posso agradecer mais uma vez à Mãezinha que passou na frente”, declarou, acrescentando que, após a queda e com dor, a força para se levantar não foi dele, mas sim divina.

“Tudo o que aconteceu, se o inimigo está furioso, vai ficar mais ainda, porque mais eu vou combater, porque Maria passa na frente, com Jesus, e pisa na cabeça da serpente. Mais do que nunca, eu tive a experiência do milagre da Mãe”, expressou, ressaltando que “o inimigo fica furioso com essa frase: ‘Maria passa na frente e pisa na cabeça da serpente’”.

Em seguida, Pe. Marcelo advertiu que, “infelizmente, muitas pessoas são marionetes nas mãos do inimigo. Elas são usadas pelo inimigo”, através da “inveja, difamação, calúnia”.

Nesse sentido, aconselhou: “Alguém difamou você, andam caluniando você, faça um B.O. Ontem, eu fiz B.O. Padre que, B.O.? ‘Bíblia e oração’”, disse o sacerdote que, após o ocorrido, não registrou boletim de ocorrência contra a mulher.

Para Pe. Marcelo, bíblia e oração são “o melhor boletim de ocorrência. E onde é a delegacia? A capela”.

“Confesso a vocês que 14 de julho de 2019, PHN, não será jamais esquecido. E mais uma vez, no ano que vem, lá estarei. O inimigo fica furioso, estamos salvando jovens das forças do mal”, expressou em relação ao evento que reuniu cerca de 50 mil pessoas na Comunidade Canção Nova. “Lembre-se: Deus venceu, Deus é maior!”, completou.

Em outro vídeo, publicado pela Comunidade Canção Nova, Pe. Marcelo Rossi também reforçou que Maria o protegeu e disse que no próximo ano, o tema do PHN será “Maria passa na frente e pisa na cabeça da serpente”.

“Fiquem tranquilos, está tudo bem, só umas dores e isso é normal, não quebrou nada. Amém!”, disse o sacerdote.

Em nota publicada junto com este vídeo, a Canção Nova lamentou “o incidente ocorrido com o Padre Marcelo Rossi durante a Missa que ele presidia neste domingo, 14, em Cachoeira Paulista (SP), no encerramento do Acampamento PHN”.

Além disso, informa que, após o ocorrido, “ele foi atendido pela equipe médica do evento e presidiu a celebração até o fim”.

Mulher fura segurança e empurra o sacerdote

Pe. Marcelo Rossi presidia a Missa quando, durante a homilia, uma mulher conseguiu furar a segurança do evento, subir no palco e o empurrou. O sacerdote ficou no chão durante alguns minutos e logo foi atendido. Em seguida, retornou ao palco e deu continuidade à celebração Eucarística.

Após o ocorrido, Pe. Marcelo optou por não registrar boletim de ocorrência contra a mulher que o empurrou. Segundo a Polícia Civil, caso o sacerdote não apresente queixa em até seis meses, o caso será arquivado.

A mulher, cuja identidade foi preservada, foi levada à delegacia e, segundo o delegado Daniel Castro contou ao portal ‘Uol’, ela disse no depoimento que sua intenção era apenas se aproximar para conversar com o sacerdote. Além disso, afirmou sofrer de transtorno bipolar e fazer tratamento psiquiátrico.

O delegado afirmou ao ‘Uol’ que a mulher deu algumas “declarações desencontradas”. “Ela falou que queria entrar para conversar com ele e que se assustou na hora que viu os seguranças correndo atrás dela”.

“É a versão dela, mas quem vê as imagens vê que não tem nada disso [seguranças correndo atrás dela]. Ela entrou correndo, se assustou e o empurrou num momento em que meio que surtou, perdeu o controle, mas que não tinha intenção nenhuma, que queria só conversar com ele”, relatou o delegado.

Via ACI Digital